Coronavírus

Vereadores denunciam possível perda de 1000 vacinas em Jales

15 Jun 2021
459

Os vereadores Hilton Marques (PT) e Carol Amador (MDB) apresentaram uma grave denúncia durante a sessão da Câmara dessa segunda-feira, que, certamente, vai dar o que falar.

Segundo o que disseram os vereadores, Jales pode ter perdido cerca de 1.000 vacinas da Coronavac, por um problema na geladeira onde elas estavam armazenadas. Há pelo menos duas versões: uma delas diz que o problema foi na tomada, enquanto a outra diz que teria havido uma sobrecarga na rede de energia elétrica.

O fato ocorreu no início do mês e já vinha sendo comentado à boca pequena – ou entre colunas, como diriam os maçons – desde a semana passada. Segundo os vereadores, o estrago poderia ter sido maior, já que Jales teria pelo menos 2.500 doses estocadas.

Hilton Marques afirmou que as vacinas da Coronavac chegaram a Jales no dia 19 de maio. O vereador questionou os motivos pelos quais essas doses ainda estavam estocadas ao invés de estar sendo aplicadas.

As vacinas sob suspeita teriam sido enviadas para o Butantan, para confirmar a possível inutilização ou não das mesmas. Hilton disse que, se as vacinas estiverem realmente estragadas, o mais provável é que não sejam repostas pelo Ministério da Saúde.

Por outro lado, de acordo com o vereador, os números inseridos no site do governo federal indicam uma discrepância que precisa ser melhor explicada. Segundo esses números, Jales já recebeu 33.000 doses de vacinas, das quais 25.000 teriam sido aplicadas. A diferença é bem maior que as 2.500 doses que estariam estocadas.

O presidente do Conselho Municipal de Saúde, José Célio Martini, já encaminhou ofícios à GVE de Jales e à Secretaria Municipal de Saúde, para confirmar o número de vacinas recebidas e efetivamente aplicadas.

Os vereadores isentaram a atual secretária de Saúde, Nilva Rodrigues de Souza, de responsabilidade. Para eles, a responsabilidade seria do prefeito Luís Henrique Moreira e do ex-secretário Alexis Kitayama, que permitiram que o controle da vacinação ficasse sob o comando de uma única servidora.

O vereador Rivelino Rodrigues (PP) sugeriu que os dez vereadores encaminhem um ofício ao prefeito Luís Henrique Moreira, solicitando a abertura de uma sindicância interna. Fontes garantem que o Ministério Público já foi informado sobre o caso.

(Blog do Cardosinho)

Motociata de Jair Bolsonaro reúne milhares de pessoas e gerou mais de 40 milhões para São Paulo
Secretaria de Cultura e Turismo tem funcionários afastados por contaminação da Covid-19