Política

Sessão Camarária é marcada por ofensas

29 Jun 2021
614

Na noite de ontem (28), a Câmara Municipal de Jales, em sua sessão camarária remota acabou em discussão feia. Onde se era para discutir sobre os projetos a serem aprovados ou não, acabou se tornando um local de acusações.

O vereador Bruno de Paula criticou a atitude da vereadora Carol Amador que o acusou de ter comentado que os vereadores receberam propina na Câmara de Jales e disse que enquanto vereador a verdade sempre irá prevalecer. Continuando, Bruno de Paula disse que irá representar o vereador Deley Vieira no conselho de ética e também criminalmente, isso porque quando o projeto dos fogos de artifícios foi votado, Deley teria coagido uma moradora. Segundo Bruno de Paula, o vereador Deley postou um vídeo de uma moradora nua em um grupo de WhatsApp de seus colegas e que o mesmo teria viralizado. Bruno de Paula ao direcionar as palavras ao vereador Riva Rodrigues, disse que o mesmo estaria sendo investigado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público e afirma ter provas sobre a investigação.

Mentiroso, iniciou o vereador Deley Vieira, as palavras ditas por Bruno de Paula e continuou falando que o vereador, calado é um poeta.

“Tive a hombridade de ir até a casa da moça, pedir desculpas e conversei com ela!”, afirmou Deley que disse também somente ter reproduzido o vídeo e perguntado quem era a moça no grupo de WhatsApp.

A enfermeira e vereadora Carol Amador usou o seu tempo reforçando a representação que fará a Bruno, que também incluirá vídeos. Ela citou que "não tem tempo de ficar em rede social fazendo live e jogando a população contra os meus nobres pares amigos aqui, coisas que o senhor fez porque tem todos os detalhes das pessoas falando mal de mim na sua live", disse Carol, finalizando que a imagem da Câmara está sendo jogada na lama.

Já o vereador Riva Rodrigues usou o espaço para desabafar após as falas dos nobres pares: "O que eu tenho diante do comentado a título de patrimônio é declarado e está no meu nome, inclusive está declarado no processo eleitoral que todos nós participamos e que obrigatoriamente tivemos que mandar uma declaração de bens para a Justiça Eleitoral e que está publicada no site oficial e entregamos no dia da posse quando fomos diplomados!", esclareceu.

Riva, com tom de chateação, comentou que só não vai declinar deste mandato porque tem respeito pelos mais de 800 votos recebidos: "Por mim eu abdicava deste mandato. Francamente, a decepção é grande!", finalizou citando que na Câmara as discussões precisam ser maiores, citando diversos problemas de interesse da população.

(FocoNews)

Prefeito de Urânia está em isolamento domiciliar após testar positivo para Covid-19
EXCLUSIVO. Motorista de empresa de ônibus é preso acusado de pedofilia contra duas crianças em Santa Fé do Sul