Social

Santa Fé do Sul lança campanha contra abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

17 Mai 2021
411

Dia 18 de maio, é marcado como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração de Crianças e Adolescentes e para lembrar a data e alertar a população de Santa Fé do Sul, o Governo Municipal da Estância Turística de Santa Fé do Sul, por meio da Secretaria de Assistência Social, promovera a Campanha “Faça Bonito”, uma mobilização nos semáforos de conscientização.

O mês de maio ficou marcado como “Maio Laranja”, campanha lançada em 2020 no Brasil, que consiste na promoção de ações de conscientização que visam prevenir, orientar e combater o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes.

Dados do Instituto Liberta levantados a partir de estudos de organização da sociedade civil e dados governamentais, apontam que o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking de exploração sexual infanto-juvenil, no entanto apenas 10% dos casos são notificados às autoridades. Estima-se que por ano, ocorra mais de 500 mil casos de violação no Brasil.

O dia 18 refere-se ao caso Araceli, um dos mais emblemáticos casos de violação contra crianças ocorridos no Brasil. Em 18 de maio de 1973, Araceli Cabrera Crespo, de oito anos de idade, desapareceu na cidade de Vitória, no Espírito Santo. Seus dias após seu desaparecimento o corpo foi encontrado em um terreno baldio, próximo ao centro de Vitória, conforme laudo, a criança havia sido espancada, estuprada, drogada e morta e após o assassinato seu corpo foi desfigurado com ácido. Na época em que ocorreu o crome, os policiais ouviram diferentes versões, contudo depois do julgamento e da absolvição dos suspeitos, a justiça arquivou o caso.

Apesar de não ter sido solucionado, o assassinato de Araceli se tornou símbolo da luta contra a violência e exploração sexual de crianças e adolescentes.

Todos os anos Santa Fé do Sul abordam temas nas escolas através de palestras, oficinas temáticas, no entanto em razão a pandemia os temas serão abordados através das plataformas virtuais.

De acordo com o Psicólogo Thiago Morilha, a criança violentada na maioria das vezes omite o abuso sofrido pelo fato de terem medo do agressor, que faz ameaças para inibir crianças e jovens a ficarem caladas, é por isso que é muito importante que os familiares fiquem atentos quanto as mudanças de comportamento das crianças e adolescentes.

Exploração sexual contra crianças e adolescentes é crime! Denúncias podem ser feitas por meio do Disque 100, do App Direitos Humanos, Cras ou Creas, Centro de Referência Especializado da Assistência Social de seu município, todos os canais de atendimento são gratuitos.

Morre Tonhão Buffo da Lagus tratores, vítima da COVID-19
Dentro de cinco dias, Família perde dois irmãos, Mario e Nori Takayama