Coronavírus

Parque aquático de Santa Clara d’Oeste poderá receber fiscalização do Estado e da Polícia

28 Jan 2021

Determinado pelo Governo do Estado de São Paulo, o novo Decreto restringi o funcionamento dos estabelecimentos tais como parques, bares, lanchonetes não poderão abrir ao público os finais de semana, acontece que denuncias já de algum tempo dão conta que o clube que fica em Santa Clara d’Oeste não está obedecendo o Decreto como era para ser. A indignação dos denunciantes e funcionários é que segundo eles, ninguém fiscaliza, a polícia por sua vez não fiscaliza, o prefeito e os vereadores também não tomam ciência, o Ministério Público também não tem conhecimento e a vigilância sanitária desconhece, o fato é que todas as denúncias são verdadeiras. Piscinas lotadas, pessoas sem mascaras na piscina, restaurantes lotados, barracas lotadas, quiosques lotados em plena pandemia.

Segundo denunciantes, eles já não sabem a quem recorrer, vários funcionários já foram afastados e contaminados. Segundo eles o local não é desinfetado, as pessoas na maioria viajam na mesma van, trabalham um ao lado do outro e assim vai tocando.

Nossa reportagem já esteve no local e constatou a aglomeração. Conversamos com o gerente e ele afirmou que tudo está dentro da normalidade, fato não verdadeiro.

Neste final de semana, o desespero dos funcionários ainda é maio, pois a cada dia está morrendo mais gente, a situação se complica a cada dia e todos estão com medo, o Decreto pede o fechamento e os denunciantes afirmam que o Clube não irá cumprir corretamente com o Decreto. Os hotéis do Clube irão funcionar normalmente, o que não pode dentro do Decreto é o restaurante do parque funcionar e atender o povo, bem como a lanchonete e o bar molhado que segundo as denúncias irão funcionar para atender os hospedes do Xalés, mas visando que reza o Decreto o Parque também não pode funcionar e até a data de hoje, está confirmado esses funcionamentos.

O que os denunciantes estão pedindo é para que as autoridades tomam ciência da situação e façam seus papeis. “Só porque o Clube é grande, pode fazer o que quiser? Já estamos denunciando na Promotoria de Justiça, na Vigilância Sanitária, nas Polícias Civis e Militar e vamos denunciar na fiscalização do Estado onde a sede é Jales, tudo isso é para garantir a nossa saúde e também a saúde dessas pessoas que lá estarão, não é justo o Clube pensar só em dinheiro e esquecer a vida dos outros. Esperamos uma resposta de todas as autoridades” afirmaram os denunciantes.

Ontem em Santa Fé do Sul, as fiscais do Estado visitaram os estabelecimentos no período noturno e orientaram o atendimento dentro do que pede o Decreto, presencial até as 20h, caso seja detectado reincidência a multa começa com R$6.000,00. Que a mesma fiscalização seja feita no referido Clube, principalmente aos finais de semana.

Morre a 80 vítima de Covid-19 na cidade
Santa Casa de Santa Fé do Sul e médico liberam criança com fratura no ombro e braço