Justiça

Motorista que dirigiu quase 10 km na contramão e causou morte em rodovia vai a júri popular pela 2ª vez

03 Out 2019
108

O representante comercial Guilherme Meucci Soares, acusado de dirigir na contramão por quase 10 quilômetros e causar o acidente que matou o empresário Rodrigo Fernandes Pereira, vai a júri popular pela segunda vez no Forúm de São José do Rio Preto (SP). O julgamento está marcado para começar às 13h30 desta quinta-feira (3).

Segundo o processo, a batida aconteceu na Rodovia Washington Luís, em abril de 2012. No carro que Guilherme dirigia foram encontradas algumas latas de cerveja, mas o teste do bafômetro não foi realizado porque o motorista precisou ser socorrido em estado grave.

O empresário Rodrigo voltava de uma chácara, onde organizava uma festa, quando teve o carro atingido. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local do acidente, deixando dois filhos.

Segundo júri

Guilherme já passou por um júri popular no dia 7 de agosto de 2018 e foi condenado a 14 anos de prisão, mas o Superior Tribunal de Justiça (STJ) anulou o julgamento.

A defesa dele recorreu alegando que para acidente de trânsito não se pode aplicar as qualificadoras que aumentam a pena do condenado. O STJ acatou os argumentos da defesa de Guilherme e anulou a condenação.

Com a anulação, Guilherme será julgado apenas pelo crime de homicídio doloso e não mais qualificado. Se condenado, pode ter de cumprir de 6 a 20 anos.

Polícia de Urânia prende homem que matou jovem de 19 anos a facadas
Centro de Convivência do bairro Bela Vista é inaugurado pela Administração Municipal